31.12.15

Retrospectiva 2015 - que ano!

Ma oeeeeeeeeeeeee..
Recebi o desafio ontem a noite, num grupo de amigas (mimimis especiais) no whatsapp e ele é bem simples: 

2015 em um momento alto, um momento baixo, 
um filme, uma música, uma pessoa

O momento alto foi o dia em que me descobri grávida (24/08)! Foi um redemoinho, um furacão de sensações. Num primeiro momento ao olhar aquele teste de gravidez pensei comigo mesma que "estava ferrada, o mundo acabou, a casa caiu, acabou a brincadeira, parou a palhaçada". Fiquei mais de uma hora sentada diante do teste, chorando, em choque. Quando o Andres chegou em casa já fui logo falando e ele me deu o apoio que se espera de alguém que te ama. Então me senti melhor e comecei a ver que nada tinha acabado e sim muita coisa começava a partir daquele momento. Essa notícia não é facilmente digerida ou aceita quando não se é planejado. Pensava em ter filhos depois dos 30 - daqui uns 2 anos estaria ótimo. Mas naquele momento havia pedido a conta do trabalho e estava no final do aviso prévio - estava com tantos e tantos planos diferentes. Nada incluia ter que um bebê. Confesso: demorei uns 3 meses pra aceitar a situação de verdade. Tudo começou a mudar quando comecei a sentir essa nova vida se mexendo aqui dentro de mim, o meu menino (descobrimos o sexo dia 04/12).

O momento baixo, posso direcionar a aturar os meus hormônios? hahaha.. não foi um momento em si, mas os dias em que me senti muito, muito, muito triste e ainda sem saber o que fazer com relação a gravidez, a um bebê, e acho que tudo que interfere na maternidade na vida de uma mulher. Não sou mais nenhuma criança e hoje vejo que o tempo está perfeito (28 anos) para ter um filho. Mas tudo muda muda tudo, tudo mesmo. Eu fiquei uns 2 meses com certeza num estado de leve depressão, ai quando o Sean começou a mexer na minha pancinha eu dei uma melhorada rápida no humor. Porém uns dias depois eu voltei a ficar mal e já não sentia o bebê mexer. Fui pesquisar e encontrei estudos que apontam que de fato quando a mãe não está bem, o bebê costuma não se manifestar muito. E o mais preocupante: quando a mãe tem depressão (leve, média, aguda, não importa), isso influencia até mesmo o desenvolvimento do bebê e até mesmo traços de sua personalidade a serem desenvolvidos em sua vida pós útero (aqui no mundo externo). Então eu tratei de me animar, de não me permitir abater. Claro que na prática requer esforço e nem todo dia é 100% alegria - não mesmo. Mas vem dando certo nos últimos dois meses (novembro e dezembro)!

Filme: Desculpe, mas o que mais me impressionou foi "A Entidade"! hahaha.. filme de terror e cara, muito bom! Fazia anos que não assistia algo assustador de verdade. Como sou fã de filmes do gênero e nada novo em outro gênero me chamou muita a atenção, o prêmio vai para este! Assitam e se borrem! kkkkkkkkkkkkk.. #adoro

Música: Ed Sheeran - Photograph
Ouvi essa música e assisti esse clipe quando já sabia que estava grávida e não teve como não ficar com ela na cabeça a todo momento (até hoje)... O Sean já mora no meu coração e acredito que em tudo que faço já levo em consideração a existência dele aqui comigo. Esse clipe é tão lindo e fala desse amor do autor pela família. Mostra várias fases de seu crescimento até a vida adulta e por mais longe que ele chegue ele ainda vai voltar pra casa, ele não esquece de casa. É algo que tipo, nossa, não consigo imaginar a alegria da mãe dele ao ver isso, que pra mim parece ser uma bela homenagem! É uma música linda, linda, linda! E esse clipe é puro amor, assite aí! <3 p="">




Pessoa: Andres, sem dúvida! ... ano que vem é o ano do Sean! hahahaha...
Ele tem sido o meu companheiro de vida nos últimos anos. E não poderia querer mais que ele, porque ele já é tudo e mais do que preciso, com certeza bem mais! Relacionamentos são construídos no dia a dia e desde 2012 estamos nessa e acredito que o conseguimos foi uma relação de muito amor e confiança. Hoje eu posso dizer que não trocaria por nada e por ninguém. Quando começamos a morar juntos, certa vez perguntei a ele "Por que você me ama?" - aquele mimimi de mulher que adora ouvir coisas românticas - e confesso que não fiquei muito contente com a resposta. hahahaha.. imatura eu! Ele me disse que foi porque escolheu me amar. Naquela altura eu não conseguia compreender o que é "escolher amar". Estavamos apaixonados e começamos a morar juntos tão rapidamente, foi um sentimento de querer estar junto como nunca tinha sentido antes. Mas alguém tinha que ser mais pé no chão, no caso ele, caso contrário não duraria. Depois de um tempo comecei a compreender o que ele queria dizer com "escolhi te amar" e esse foi um dos maiores presentes que alguém poderia me dar, escolher me amar como sou. Paixão é bom demais, mas sei que ela não estará presente todos os dias em nossa vida como casal. É preciso ter algo que seja consistente em todos os momentos de um casal, com paixão ou não, algo precisa estar na base. Algo que seja forte e crie os laços. E amor você escolhe. A paixão te flecha, a paixão te acelera o coração em alguns momentos, a paixão te deixa bobo. Mas o amor você escolhe plantar com cada ação de cuidado, de carinho, de atenção, de apoio, de crítica construtiva, de ombro para amaparar, de mão para segurar, de abraço para aquecer. O amor não quer nada além do bem do amado. O amor te deixa alerta, o amor traz consciência, o amor traz intimidade de verdade, o amor de verdade te dá liberdade. O amor é muito diferente da paixão. Ele escolheu me amar, e todos os nossos dias ele semeia este amor. Ele é o racional da relação, pois não cai nas minhas armadilhas passionais de pequenos atritos cotidianos - em outras palavras ele não cai na minha de brigar por pouca coisa - e quando percebi isso, a grandeza dessa sabedoria no comportamento dele, entendi e aprendi com ele a ser assim (tenho tentado). Ele tem esse título de pessoa de 2015, e ainda em tempo pois não dei esse título a ninguém nos anos anteriores, ele é a pessoa de 2014, 2013 e 2012 também! Uma declaração: amo amar você, meu azulzinho. Nós nos apaixonamos! E nós nos escolhemos. Obrigada por ter me escolhido para ser seu amor. Obrigada pelo nosso baby que está vindo e eu espero que ele seja igual a você!


O primeiro ultrasson do nosso Sean <3 td="">


Escrevi demais - ainda que tentando economizar nas palavras - para um desafio tão simples! hehehe.. mas meu amor está demais mesmo!
Bjonnnnnnnnnnnnnnnns!
Até ano que vem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário