31.12.15

Retrospectiva 2015 - que ano!

Ma oeeeeeeeeeeeee..
Recebi o desafio ontem a noite, num grupo de amigas (mimimis especiais) no whatsapp e ele é bem simples: 

2015 em um momento alto, um momento baixo, 
um filme, uma música, uma pessoa

O momento alto foi o dia em que me descobri grávida (24/08)! Foi um redemoinho, um furacão de sensações. Num primeiro momento ao olhar aquele teste de gravidez pensei comigo mesma que "estava ferrada, o mundo acabou, a casa caiu, acabou a brincadeira, parou a palhaçada". Fiquei mais de uma hora sentada diante do teste, chorando, em choque. Quando o Andres chegou em casa já fui logo falando e ele me deu o apoio que se espera de alguém que te ama. Então me senti melhor e comecei a ver que nada tinha acabado e sim muita coisa começava a partir daquele momento. Essa notícia não é facilmente digerida ou aceita quando não se é planejado. Pensava em ter filhos depois dos 30 - daqui uns 2 anos estaria ótimo. Mas naquele momento havia pedido a conta do trabalho e estava no final do aviso prévio - estava com tantos e tantos planos diferentes. Nada incluia ter que um bebê. Confesso: demorei uns 3 meses pra aceitar a situação de verdade. Tudo começou a mudar quando comecei a sentir essa nova vida se mexendo aqui dentro de mim, o meu menino (descobrimos o sexo dia 04/12).

O momento baixo, posso direcionar a aturar os meus hormônios? hahaha.. não foi um momento em si, mas os dias em que me senti muito, muito, muito triste e ainda sem saber o que fazer com relação a gravidez, a um bebê, e acho que tudo que interfere na maternidade na vida de uma mulher. Não sou mais nenhuma criança e hoje vejo que o tempo está perfeito (28 anos) para ter um filho. Mas tudo muda muda tudo, tudo mesmo. Eu fiquei uns 2 meses com certeza num estado de leve depressão, ai quando o Sean começou a mexer na minha pancinha eu dei uma melhorada rápida no humor. Porém uns dias depois eu voltei a ficar mal e já não sentia o bebê mexer. Fui pesquisar e encontrei estudos que apontam que de fato quando a mãe não está bem, o bebê costuma não se manifestar muito. E o mais preocupante: quando a mãe tem depressão (leve, média, aguda, não importa), isso influencia até mesmo o desenvolvimento do bebê e até mesmo traços de sua personalidade a serem desenvolvidos em sua vida pós útero (aqui no mundo externo). Então eu tratei de me animar, de não me permitir abater. Claro que na prática requer esforço e nem todo dia é 100% alegria - não mesmo. Mas vem dando certo nos últimos dois meses (novembro e dezembro)!

Filme: Desculpe, mas o que mais me impressionou foi "A Entidade"! hahaha.. filme de terror e cara, muito bom! Fazia anos que não assistia algo assustador de verdade. Como sou fã de filmes do gênero e nada novo em outro gênero me chamou muita a atenção, o prêmio vai para este! Assitam e se borrem! kkkkkkkkkkkkk.. #adoro

Música: Ed Sheeran - Photograph
Ouvi essa música e assisti esse clipe quando já sabia que estava grávida e não teve como não ficar com ela na cabeça a todo momento (até hoje)... O Sean já mora no meu coração e acredito que em tudo que faço já levo em consideração a existência dele aqui comigo. Esse clipe é tão lindo e fala desse amor do autor pela família. Mostra várias fases de seu crescimento até a vida adulta e por mais longe que ele chegue ele ainda vai voltar pra casa, ele não esquece de casa. É algo que tipo, nossa, não consigo imaginar a alegria da mãe dele ao ver isso, que pra mim parece ser uma bela homenagem! É uma música linda, linda, linda! E esse clipe é puro amor, assite aí! <3 p="">




Pessoa: Andres, sem dúvida! ... ano que vem é o ano do Sean! hahahaha...
Ele tem sido o meu companheiro de vida nos últimos anos. E não poderia querer mais que ele, porque ele já é tudo e mais do que preciso, com certeza bem mais! Relacionamentos são construídos no dia a dia e desde 2012 estamos nessa e acredito que o conseguimos foi uma relação de muito amor e confiança. Hoje eu posso dizer que não trocaria por nada e por ninguém. Quando começamos a morar juntos, certa vez perguntei a ele "Por que você me ama?" - aquele mimimi de mulher que adora ouvir coisas românticas - e confesso que não fiquei muito contente com a resposta. hahahaha.. imatura eu! Ele me disse que foi porque escolheu me amar. Naquela altura eu não conseguia compreender o que é "escolher amar". Estavamos apaixonados e começamos a morar juntos tão rapidamente, foi um sentimento de querer estar junto como nunca tinha sentido antes. Mas alguém tinha que ser mais pé no chão, no caso ele, caso contrário não duraria. Depois de um tempo comecei a compreender o que ele queria dizer com "escolhi te amar" e esse foi um dos maiores presentes que alguém poderia me dar, escolher me amar como sou. Paixão é bom demais, mas sei que ela não estará presente todos os dias em nossa vida como casal. É preciso ter algo que seja consistente em todos os momentos de um casal, com paixão ou não, algo precisa estar na base. Algo que seja forte e crie os laços. E amor você escolhe. A paixão te flecha, a paixão te acelera o coração em alguns momentos, a paixão te deixa bobo. Mas o amor você escolhe plantar com cada ação de cuidado, de carinho, de atenção, de apoio, de crítica construtiva, de ombro para amaparar, de mão para segurar, de abraço para aquecer. O amor não quer nada além do bem do amado. O amor te deixa alerta, o amor traz consciência, o amor traz intimidade de verdade, o amor de verdade te dá liberdade. O amor é muito diferente da paixão. Ele escolheu me amar, e todos os nossos dias ele semeia este amor. Ele é o racional da relação, pois não cai nas minhas armadilhas passionais de pequenos atritos cotidianos - em outras palavras ele não cai na minha de brigar por pouca coisa - e quando percebi isso, a grandeza dessa sabedoria no comportamento dele, entendi e aprendi com ele a ser assim (tenho tentado). Ele tem esse título de pessoa de 2015, e ainda em tempo pois não dei esse título a ninguém nos anos anteriores, ele é a pessoa de 2014, 2013 e 2012 também! Uma declaração: amo amar você, meu azulzinho. Nós nos apaixonamos! E nós nos escolhemos. Obrigada por ter me escolhido para ser seu amor. Obrigada pelo nosso baby que está vindo e eu espero que ele seja igual a você!


O primeiro ultrasson do nosso Sean <3 td="">


Escrevi demais - ainda que tentando economizar nas palavras - para um desafio tão simples! hehehe.. mas meu amor está demais mesmo!
Bjonnnnnnnnnnnnnnnns!
Até ano que vem!

23.9.15

Traçando metas e aceitando o meu próprio desafio

Olá pessoas, boa noite! :D

Para resumir meu último mês, ele foi de muitos altos e baixos hormonais (pois descobri que estou grávida no último dia 24), e muitos e muitos altos na minha vida.

Descobrir-se grávida quando se tinha uma série de planos que não incluíam um baby pelos próximos dois anos (no mínimo) é um tanto quanto conturbado. Mas coloquei na balança e vi que é a hora certa, o momento certo, o namorido certo para ser o melhor pai do mundo e tudo certo. Confesso que no momento que descobri chorei e pensei: acabou minha vida! Confesso... pois realmente se você for pensar a sua vida individual e centralizada apenas em seus próprios anseios e desejos realmente já passa a não existir. A partir do momento em que uma mulher se descobre mãe, acredito que ela passa a ser outra mulher. A vida muda e muda para melhor (só depende de você). Mas logo que contei para o Andres (que já estava querendo um filho) e vi a felicidade dele, depois contamos aos nossos pais e familiares e todos estão mega felizes, e depois de quase uma semana entre choros e risos (hormônios), digeri melhor a ideia (que é na verdade a minha atual realidade) e não só aceitei como estou amando a minha realidade.

Agora te falar, ser mãe é um desprendimento total já desde o momento do pré-natal. Haja agulhas, coleta de exames, vitaminas que você tem que tomar para a boa formação e desenvolvimento do feto (ácido fólico, ferro.. por enquanto), cuidar da alimentação (pois agora se você vacilar não é apenas com você, é com seu tesooouro também), enjoos, prisão de ventre, sono, sono, sono, cansaço e sono, sono, sono. A pior pra mim tem sido os comprimidos (ácido fólico e ferro) que tomo na parte da manhã e almoço. Me embrulham o estomago totalmente, mas não posso me permitir vomitar né... são as vitaminas que vão para o baby! Já de manhã eu tenho acordado com ânsias e não como nada até umas 10h - isso é quase todos os dias. Hoje, por exemplo, acordei enjoada e ok. Esperei para comer só depois desse horário, mas tomei meio copo de água e tcharam.. vomitei o meio copo de água. É inacreditável vomitar água (saudade mesmo é de vomitar de ressaca das bebidas das minhas saidinhassss.. kkkkkkkkkkkk.. mas isso ficou no passado!)...

Além da surpresa do baby, eis que estou tocando um projeto pessoal com a máxima atenção em todos os detalhes. Enfim estou desenvolvendo uma marca de lingerie. SIM! Vou dar asas a minha paixão e imaginação nesta empreitada e pelos resultados que venho tendo nos estudos e desenvolvimento parece ser o melhor momento do mundo para isso. Já era uma vontade antiga, mas sempre que me colocava a pensar na marca, num conceito, no que fazer, tudo parecia ainda crú e imaturo. Sem falar que estava trabalhando - como doida - na área turismo, como 80% das pessoas que vem viver em Paraty acabam fazendo. Graças a Deus consegui voltar meu foco ao meu antigo sonho, que tinha desde os tempos de menina quando ainda trabalhava com minha mãe na confecção dela. Hoje, essa escolha se coloca tão certa que as resposta que me faço como empreendedora e planejadora (além de muitas outras funções - faz tudo define) dessa nova empreitada estão vindo com tamanha facilidade e enfim pareço conseguir enxergar e entender o caminho e onde quero chegar com isso. Em breve terei todas as novidades e detalhes aqui, com certeza. Além, claro, de lingeries maravilhosas!!!! AMO - AMO - AMO - AMO!!!! Que mulher não ama? hahaha..

Então as metas são muitas e os meus planos não vão mudar por um baby chegar, apenas estão se ampliando a um ser maravilhoso pelo qual vou sempre batalhar e almejar fazer o melhor. Agora não só por mim, mas por nós 3 (mãe, pai e baby). Querem inspiração e razão melhor?

Bjonnnnnnnnnnnns (como de costume).

Thais

Uma ilustrção de Marike Koger - ultra sensuality e colorful - para colorir o post :)

6.9.15

Sobre o ônibus Colitur Paraty-Trindade, sobre 15 mortes


Acredito que é natural aos bons de alma se compadecer das tragédias de seu próximo. É natural amar, natural estender a mão, natural oferecer um abraço a quem precisa...
Quando foi que o ser humano perdeu a naturalidade de ser um ser e se tornou um monstro sem sentimentos, sem compaixão, sem bondade e totalmente imparcial com a maldade ou tragédia alheia.
Quando foi que o dinheiro passou a valer mais do que vidas? Quando foi que retrocedemos a tal ponto de ter um coração tão duro como pedra sendo inatingível, ou tão espinhento que sente prazer ao machucar e desferir agressão, agressão e agressão?
Em luto a tragédia de hj - ao acidente em Trindade com o ônibus Colitur - e a tragédia humana que é ver num momento como esse pessoas que fazem piada da dor alheia - vulgo comentários do site onde acompanhei notícias sobre a tagrédia.
Naquele ônibus tinham hóspedes de alguma das 3 pousadas onde trabalhei até exatamente ontem. E a tristeza que sinto é imensa. Imensa. Imensa. Sei que ao menos uma mulher faleceu e era nossa hóspede, ou melhor, da pousada onde trabalhava. E no total já foram registradas 15 mortes e cerca de 50 feridos.
Postei a pouco foto de uma trilha em Trindade de uma das vezes que fui (e adoro ir) e utilizei exatamente o mesmo serviço de transporte que essas pessoas fatalmente utilizaram hoje. Poderia ser qualquer um de nós, e a qualquer momento. Hoje mesmo acordei com vontade de ir a praia e poderia ter escolhido Trindade, no ônibus que saiu as 12:20 da rodoviária. Eles escolheram.. muitos não voltaram e não voltarão.
Moradores daqui sabem a precariedade do serviço prestados pela Colitur, apesar do alto valor cobrado pela passagem: os ônibus são em sua maioria velhos, sempre quebram, não respeitam os horários e andam em alta velocidade em qualquer trecho que for e estando lotado ou não - sendo para Trindade, Mambucaba, Paraty Mirim, Penha/Tobogã, Angra dos Reis, etc...  Os motivos que levaram a esse acidente  em questão eu desconheço, mas o descaso que sofrem os que utilizam os serviços da empresa Colitur são totalmente conhecidos pela população. Querem ver as reclamações? Não são de hoje e você pode ver por exemplo nesta página no Facebook criada em junho de 2013: https://pt-br.facebook.com/BastaColiturparaty 
Enfim, o post não é para julgar a empresa, pois tudo ainda será apurado e julgado - ainda que pela nossa falha Justiça. Mas ficam minhas palavras de condolências às vítimas e seus familiares. 
Tragédias podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer momento, basta estar no lugar errado, na hora errada. Mas ninguém sai para um passeio, para aproveitar o tão sonhado feriado na praia esperando não voltar. Não julguem as vítimas, pois elas simplesmente tinham muita vontade de viver e era isso que queriam como muitos que viajam nas férias, nos finais de semana, nos feriados, ou quando podem: conhecer novos lugares, ver o mar, estar com a natureza, lavar a alma na água salgada e recarregar as energias para voltar a labuta. Viver eu aposto que era o desejo de 100% de quem estava naquele ônibus.
Doadores de sangue em Paraty, Angra dos Reis e Ubatuba (locais que estão sendo atendidas as vítimas em hospitais), por favor, se mobilizem pois estão precisando. Já estou sabendo que na terça-feira (08/09/15) virá uma unidade móvel do Hemonúcleo de Angra para cá - pois aqui não temos - e farão a coleta. Segue o contato do nosso hospital em Paraty - aliás deplorável hospital - para mais informações: 
Hospital São Pedro de Alcântara - (24) 3371-1377

15.6.15

Pensamento Resgatado




Tão mais fácil se conformar e tão mais fácil seguir o que querem e o que esperam de mim? Depende do que você é. Um homem ou um objeto previsível e manipulável.

Tem gente que quando ouve que queremos mudar só nos falta rogar praga pra que dê tudo errado, de tão negativo que é a recepção da boa nova - boa ao menos pra quem vai mudar buscando algo melhor. Tenho uma profunda vontade de dizer pra esse tipo de gente que tomem bem no meio do orifício anal que possuem, porém, mais educado é fazer uma cara de "fazer o quê?" e pensar consigo mesmo "me aguarde!".

É sempre mais fácil jogar pedras do que ajudar a carregar a cruz, não é?
Então não adianta esperar que essas pessoas tomem consciência do quão negativas são. Raramente isso acontece.

Faça o que você quer fazer para se realizar e não para realizar aos outros.
Um dia você vai poder fazer algo por alguém que ama, alguém que espera algo de você mas que realmente se importa com você e sabe que tudo tem seu tempo. Enquanto isso, corra atrás de seus sonhos.

Não sofra por antecipação (repito isso a mim mesma todos os dias e nem sempre o faço, mas é bom).
Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem a você.
Se respeite e respeite aos outros. Cada cabeça uma sentença. Não adianta querer se impor a tudo ou todos, mas saiba viver entre as pessoas sem se deixar apagar por não compartilhar 100% de suas ideais. O mundo hoje é globalização: de vida, de vivência, de pensamentos, de ideias, de realizações. Mas as pessoas não são 100% como você quer e as coisas também não. Globalize o que puder, assim você vai conhecer muito mais do que se fechando. Mas não esqueça que a sua vida deve ter a sua personalidade.